Quem sou eu

Minha foto
Itabuna, Bahia, Brazil
Licenciada em Química pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc- Bahia); Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo (USP); Professora do ensino Fundamental e Médio há 12 anos. Trabalha com Jogos e atividades lúdicas no ensino de Ciências, especialmente a Química.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Um olhar sobre a educação continuada em Ciências de professores das Séries Iniciais



Por: Mari Inez Tavares

A presente dissertação insere-se na linha de pesquisa formação continuada de professores. Pretendeu-se analisar o percurso de dois cursos de formação continuada de professores das séries iniciais em ciências que tinham por finalidade construir e discutir o conceito de transformação de materiais, além de favorecer uma reflexão a respeito do ensino de ciências para crianças através da criação de atividades experimentais, além do fortalecimento da autonomia dos professores cursistas. O contexto escolhido foi a utilização de um material didático que possui as suas atividades orientadas pela metodologia construtivista (PROQUIM). Esta investigação realizou-se com o corpo docente das séries iniciais de duas escolas: denominadas respectivamente de escolas "A" e "B". A primeira localizada na região central da cidade de São Paulo e a segunda localizada na Zona Leste do mesmo município. Ao todo participaram 37 professores. Esta investigação foi dividida em duas partes intimamente ligadas: a primeira abrangendo o convite ao curso de formação continuada, o próprio curso em si e a criação de atividades experimentais para crianças das séries iniciais do Ensino Fundamental. A segunda envolveu entrevistas com os professores após um ano decorrido o curso de formação. Esta entrevista teve por finalidade verificar se houve influência ou não do curso de formação continuada nas concepções dos professores a respeito do ensino de ciências para crianças que freqüentam as séries iniciais. A metodologia de análise consistiu na análise do conteúdo proposta por Laurence Bardin das respostas dadas às atividades desenvolvidas, à entrevista realizada com alguns professores envolvidos e do texto produzido pelos alunos dos professores entrevistados. Pode-se concluir da investigação que os professores que foram influenciados pelo curso desenvolveram aulas experimentais que envolvia diálogos em pequeno e grandes grupos que também influenciaram as crianças, pois estas não tiveram dificuldade em expressar-se por escrito causas e conseqüências. Já as crianças dos professores que não foram influenciados pelo curso que mantiveram a sua prática docente semelhante àquela de quando se formaram na Habilitação Específica para o Magistério, além da dificuldade de expressar-se por escrito sobre causas e conseqüências, elaboraram o texto como se fosse uma cópia de texto de livro didático. A nossa perspectiva é que no futuro este estudo de caso possa colaborar com ações de formação continuada em Ciências para professores das séries iniciais no que tange à metodologia de curso e na reorganização de livros didáticos de ciências destinados para crianças no que se refere à inclusão de atividades experimentais.



Nenhum comentário:

Postar um comentário