Quem sou eu

Minha foto
Itabuna, Bahia, Brazil
Licenciada em Química pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc- Bahia); Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo (USP); Professora do ensino Fundamental e Médio há 12 anos. Trabalha com Jogos e atividades lúdicas no ensino de Ciências, especialmente a Química.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Química para Crianças: Levando divertimento aos experimentos


A ciência é definida como conhecimento ganho através da observação e do estudo da experiência, representando o cotidiano para as crianças, mesmo se tratando de crianças menores.
De acordo com Williams (2003) as crianças trazem consigo uma série de conhecimentos e experiências, fazendo com que o professor possua a função de descobrir o que os educandos já sabem e iniciar o trabalho a partir desse ponto, pois no ensino de ciências o melhor método consiste em uma abordagem integrada.
Segundo os estudos de Santana (2012) a vantagem de se utilizar um método de ensino centrado nos alunos reside no fato de poder trabalhar em conformidade com níveis adequados às suas capacidades, interesses e necessidades. Fazendo com que as crianças estejam envolvidas emocionalmente em todo processo facilitando assim a aprendizagem.

O Público-alvo desta pesquisa é constituído por 245 alunos, com faixa etária de 6 a 12 anos, cursando desde o 1º ao 5º anos do ensino fundamental de uma escola da rede particular de ensino na cidade de Itabuna, no estado da Bahia. O objetivo desse trabalho é introduzir uma iniciação científica através de experimentos realizados no laboratório de ciências, fazendo com que as ciências se tornem uma parte das atividades diárias e uma experiência significativa para as crianças.
Foram realizadas algumas atividades experimentais com aspectos lúdicos envolvendo os respectivos assuntos de cada turma trabalhada (1º ao 5º anos). Esses experimentos foram realizados no laboratório didático de ciências existente na escola.
Observamos que ao aplicar à metodologia as crianças começam em níveis diferentes, sem deixarem de participar em todo o processo pedagógico. Mas esse fator não as inibe, pois foi percebido que em todos os momentos da aplicação os educandos são curiosos e perguntam sobre o que está acontecendo.
A partir das observações realizadas pelos professores constatamos que a aplicação da metodologia foi benéfica em todos os aspectos, pois a investigação científica vai ajudando as crianças a desenvolverem a capacidade de pensar, raciocinar e observar, que são habilidades valiosas em todos os aspectos de suas vidas, facilitando a formação de futuros cidadãos críticos.
____________________
LEAL, M.  C. Didática da Química: Fundamentos e Práticas para o Ensino Médio. Belo Horizonte: Dimensão, 2009, 120 p.
MORAES, E. y REZENDE, D. (2009). Atividades lúdicas como elementos mediadores da aprendizagem no ensino de ciências da natureza. Enseñanza de las Ciencias, Número Extra VIII Congreso Internacional sobre Investigación em Didáctica de las Ciencias, Barcelona, pp. 1008-1012. http://ensciencias.uab.es/congreso09/numeroextra/art-1008-1012.pdf
SANTANA, Eliana Moraes. O Uso do Jogo Autódromo Alquímico como mediador da aprendizagem no Ensino de Química. São Paulo, 2012. 202p. Dissertação de Mestrado- Instituto de Física, Instituto de Química, Instituto de Biociências- Faculdade de Educação- Universidade de São Paulo.
WILLIAMS, R.A; ROCKWELL,R.E.; SHERWOOD, E. A. Ciência para crianças. Horizontes Pedagógicos. Instituto Piaget. 2003.