Quem sou eu

Minha foto
Itabuna, Bahia, Brazil
Licenciada em Química pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc- Bahia); Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo (USP); Professora do ensino Fundamental e Médio há 12 anos. Trabalha com Jogos e atividades lúdicas no ensino de Ciências, especialmente a Química.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

MODALIDADES DIDÁTICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS


Betina da Fontoura
Janaina Stuart


 
A modalidade didática usadas no ensino das disciplinas cientificas dependem fundamentalmente, da concepção de aprendizagem para o ensino de Ciências. As praticas pedagógicas norteadoras dos cursos têm por objetivo basicamente transmitir informação, cabendo ao professor o papel de facilitador de conhecimento.
Vários foram os educadores que pensaram o processo ensino-aprendizagem, influenciados por idéias comportamentalistas. Destaca-se neste período, Benjamim Bloom, onde os objetivos educacionais eram divididos em cognitivo-intelectuais, afetivo-emocionais e psicomotores-habilidades, organizados em escalas mais complexas de comportamento. Atualmente muitos processos de planejamento educacional das escolas constam apenas de objetivos e metas.
Surge então no final dos anos 60 Jean Piaget, centrando o processo ensino-aprendizagem da ciência numa perspectiva cognitivista, enfatizando o construtivismo.
Estas modalidades de ensino, porém, devem ser discutidas e analisadas para orientar a escolha da modalidade que será à base do educador e principalmente no ensino das ciências tem significantes conseqüências especificas.
A influencia cognitivista foi se ampliando com base nos estudos piagetianos considerando fases de operações lógicas pelo qual o aluno passa por uma seqüência que vai do senso motor, pré-operatório, concreta operacional até o formal operacional. E começou a ver o laboratório como ferramenta do estagio de desenvolvimento do aluno ao longo desse ciclo de aprendizagem. Nesta perspectiva, as pré-concepções dos alunos são fundamentais pois possibilitam o progresso do raciocínio e analise dos fenômenos, link da ciência.
Na perspectiva atual para o ensino dessa matérias,  destacamos bem esta concepção, na qual o aluno e suas pré-concepções devem ser considerados quando disposto que: “Seu aprendizado exige vivência e atividade, não só ou necessariamente do tipo experimental quantitativa, mas certamente de caráter ativo, de forma a permitir a efetiva incorporação dos procedimentos e valores associados à prática científica”. Neste contexto podemos salientar que o aluno constrói seu próprio conhecimento, e o professor se apresenta como um orientador do aprendizado.
Para a construção do seu próprio conhecimento, podemos citar como destaque os recursos tecnológicos, principalmente o uso do computador. Este instrumento leva o aluno a sair do papel de simples receptor de informações, para ser o que busca, pesquisa, integra e cria novas informações. O professor passa a auxiliar o aluno nesta busca e construção do conhecimento dentro de um esquema conceitual mais amplo.
 As praticas pedagógicas devem ser discutidas e avaliadas constantemente dentro do contexto cultural em que a escola esta inserida, pois o processo ensino-aprendizagem tem papel de destaque dentro da escola. E direcionando ao ensino de ciências percebemos que este compete a um exercício muito importante, ao raciocínio, pois desperta no indivíduo o espírito da curiosidade, os questionamentos e o interesse de forma que promove o aumento do conhecimento.  Por tal motivo é tão importante pensarmos a pratica pedagógica adotada nas disciplinas cientificas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário