Quem sou eu

Minha foto
Itabuna, Bahia, Brazil
Licenciada em Química pela Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc- Bahia); Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo (USP); Professora do ensino Fundamental e Médio há 12 anos. Trabalha com Jogos e atividades lúdicas no ensino de Ciências, especialmente a Química.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Discutindo Ciências nas obras de Monteiro Lobato





Discutindo ciência com Monteiro Lobato

Esse trabalho traz uma análise de trechos da obra Serões de Dona Benta, de Monteiro Lobato, no que se refere à concepção de ciência manifesta pelo autor. Nossa análise busca dialogar com a literatura da área de Didática das Ciências Naturais, particularmente com trabalhos que  se preocupam com a temática da “Natureza da Ciência” (NdC). Considerando as perspectivas da contextualização e da interdisciplinaridade, bem como a importância da obra de Lobato no cenário da literatura infanto-juvenil brasileira e o seu possível uso nas salas de aula de ciências naturais, apontamos a relevância de uma leitura crítica dessa obra com vistas à  problematização da concepção de ciência que a subjaz. 
Palavras-chave: Monteiro Lobato, natureza da ciência, interdisciplinaridade. 

Autores : André Ferrer P. Martins e Sílvia Regina Groto
Universidade Federal do Rio Grande do Norte
artigo completo disponível em :
http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0568-1.pdf


O POTENCIAL DE RELAÇÕES ENTRE ENSINO DE CIÊNCIAS E 
LITERATURA POR MEIO DA OBRA DE MONTEIRO LOBATO

Esse trabalho investiga o potencial pedagógico entre áreas aparentemente insolúveis como literatura e ciência que, quando relacionadas no campo do ensino promovem um  ganho de humanidade ao conhecimento científico por meio da percepção oriunda das diferentes possibilidades de leitura que as duas abordagens proporcionam, podendo:

             trazer a ciência aos cidadãos de outra maneira, sem a imposição da ciência em si mesma, diluindo-a no romance, embora sem a desvirtuar. Sem se fazer a apologia da descaracterização da abordagem científica, indispensável ao aprofundamento e a compreensão da ciência na sua totalidade, esta aproximação permite o confronto de dois campos tradicionalmente antagônicos, pelo menos em abordagens curriculares, valorizando um e outro. (GALVÃO, 2006, p.40 e 41)

Se o diálogo entre essas duas áreas chegar às escolas, envolvendo alunos e  professores, poderá contribuir para o aumento do interesse e do rendimento dos alunos  e, sobretudo, como afirma GALVÃO (2006, p. 47) “aprofundar questões relacionadas  com a ciência, tecnologia ou literatura apresentada nas obras em estudo”. Assim, um romance pode inserir o aluno no contexto social, político e cultural de determinada  época e por meio da ficção permitir que o imaginário do mesmo possa construir imagens da ciência como produto das idéias e das ações do homem

Artigo do professor Marcelo Pimentel da Silveira (UEM/PG-USP) disponível em :
http://www.cielli.com.br/downloads/217.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário